hernia-recidivada-1

Hérnia recidivada: o que fazer quando uma hérnia retorna?

A hérnia consiste no escape total ou parcial de um órgão que se desloca por meio de um orifício anormal. A abertura desse orifício pode acontecer por má-formação ou até mesmo por enfraquecimento das camadas de tecido que protegem os órgãos internos.

Algumas hérnias são resultado de esforço excessivo, como levantar muito peso, tossir cronicamente ou fazer muita força para evacuar ou urinar. Os fatores de risco incluem obesidade, tabagismo, má alimentação e próstata aumentada.

Há diferentes tipos de hérnia, incluindo a inguinal, a epigástrica, e umbilical, de hiato, a incisional, a diafragmática etc. Elas podem resultar em manifestações como dor, desconforto local e protuberância na região, entretanto, muitos casos permanecem assintomáticos por muito tempo.

O tratamento mais indicado para as hérnias maiores e mais incômodas é a cirurgia de correção. No caso de hérnias abdominais, por exemplo, o procedimento cirúrgico é realizado para reposicionar a porção do órgão que se deslocou. Ele é colocado por trás de músculos que irão mantê-lo adequadamente no abdômen. Mesmo que a cirurgia seja muito eficaz, em algumas situações, a hérnia pode voltar.

Neste artigo, trazemos mais informações sobre a hérnia recidivada. Continue a leitura para entender melhor o assunto.

A hérnia recidivada pode realmente acontecer?

Sim! Em raros casos, podem ocorrer complicações como danos nos nervos, formação de hérnia incisional ou retorno da hérnia que foi operada. A recorrência acontece com 1 a 3% dos pacientes que se submetem ao procedimento cirúrgico e geralmente a recidiva é imediata.

Quais fatores podem influenciar no retorno do problema?

O retorno da herniação pode ocorrer por causa de múltiplos fatores, entre eles, as características anatômicas do paciente, tipo de atividade desempenhada no dia a dia, além das técnicas cirúrgicas utilizadas.

Como evitar que a hérnia

volte?

O passo mais importante para diminuir o risco de a hérnia voltar é realizar a operação com técnicas modernas. No passado, a cirurgia corretiva era feita por meio da sutura do próprio tecido do paciente. Porém, esse tecido é frágil e, por isso, as chances de afrouxamento eram maiores, favorecendo a recidiva da hérnia no mesmo local. Atualmente, a cirurgia pode consistir na colocação de uma tela que reforça a região e evita que a hérnia volte.

O que fazer se a hérnia

voltar?

Ao suspeitar que a hérnia voltou, mesmo depois de ter sido operada, o ideal é buscar suporte médico para confirmar se realmente se trata de hérnia recidivada, lembrando que os sintomas podem ser parecidos com os sinais de hérnia primária: dor local, protuberância na região e desconforto local. Caso ela tenha retornado, é necessário fazer uma nova cirurgia para corrigir o problema. Então, fique atento!

Quer saber mais? Clique no banner!

Cirurgião Bariátrico e Metabólico no Rio de Janeiro​

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp